perm_identity event
Contra Baixo e Direct Box

Gravação de contrabaixo, Direct Box ou amplificador microfonado?

Gravação de contrabaixo. Beleza, esse é fácil! Só plugar um DI (saiba mais sobre direct box) nele e pronto! Som limpo, sem vazamentos, perfeito! Por que você não usou o amplificador? Não sabe? Porque você nem pensou o porque do direct box, e na diferença que ele causa no som.

Na próxima vez que você gravar um contrabaixo, grave uma trilha pelo Direct Box e outra pelo amplificador microfonado. Mas atenção: não é para colocar um SM57 na tela do amplificador. Use um microfone específico para frequências graves e subgraves, como um microfone de bumbo (Beta 52, AKG D112, etc).

Microfone Shure Beta 52a - ecemplo de microfone para gravar contrabaixo

Microfone Shure Beta 52a – ecemplo de microfone para gravar contrabaixo

Você notará a diferença com certeza. O que faço, normalmente, é gravar os dois métodos e depois mixar ambos para conseguir a sonoridade de contrabaixo que preciso.

O Direct Box te oferece mais definição, mais ataque, mas sem muito peso (low end). Já o amplificador microfonado, apesar de ter vazamentos, é o som natural do contrabaixo, com muito punch. A combinação, quando bem feita, resulta em um som de contrabaixo com peso, mas definido. Não é demais?

Faço isso inclusive ao vivo, quando tenho canais suficientes na mesa. É o melhor modo de ter o som “perfeito”.

Teste também na guitarra. Estou certo que conseguirá timbres interessantes assim!

Vale lembrar a dica do Direct Insert Box: contrabaixo ativo, prefira Direct Box passivo e vice-versa. O motivo está neste meu outro artigo sobre os direct boxes.

Este princípio vale para o bumbo, falarei mais sobre isso em outro momento.

 

TAGS:
Artigos relacionados