01/12/12

Mudanças à vista! Protocolo DANTE, Yamaha e novidades

Queridos leitores, estou bastante sumido e vou explicar porque.

Resumidamente, tenho uma M-Audio Profire Lightbridge há quase 3 anos. Ela me permite gravar até 32 canais via ADAT e voltar pra mesa, mais S/PDIF e midi I/O, totalizando 35 canais simultâneos.

Acontece que essa interface começou a falhar há alguns meses, apresentando drops e clicks grandes nas gravações. Após várias tentativas de descobrir a origem do problema, percebi que era falha de hardware e logo tratei de abri-la.

 

Imagem da interface M-Audio Profire Lightpipe 2626

Para minha surpresa, a interface é na verdade uma única placa. Esse modelo já foi descontinuado há 3 anos (eu comprei uma das últimas do estoque da Quanta) e, portanto, trocar a única placa significa trocar toda a interface, o que é impossível para um produto fora de mercado a tanto tempo.

Para minha outra surpresa, descubro que as interfaces concorrentes da Lightbridge também foram descontinuadas, em um movimento de fim do ADAT para gravações de grandes quantidades de canais.

Então, a única decisão foi mudar de padrão, fugir do ADAT. Bom, após estudar muitas opções, decido pelo protocolo Dante. Este protocolo é recente (anos 2000) e vem sendo bem recebido pelo mercado de áudio, pois ele transmite muitos canais ida e volta com um único cabo ethernet Cat5 ou Cat6. A única exigência é uma interface Gigabit, que transmite à velocidades de 1gbps, o que não é difícil de conseguir, na verdade, quase todos os computadores bons modernos já vem com uma placa Ethernet Gigabit embutida.

Uma outra razão para escolher Dante é o grande suporte dado pela Yamaha a esse padrão, inclusive a nova linha de consoles digitais da marca utiliza Dante para se comunicar com os prés no palco (Yamaha CL). Deste modo acredito que o Dante vá crescer cada vez mais e como ele se comporta como uma rede comum, qualquer equipamento adicional futuro pode ser inserido no sistema conectando ao switch e pronto!

Portanto, tratei de procurar as interfaces que preciso para entrar no mundo Dante, a placa MY16-AUD. Para quem não conhece, cada mesa digital da Yamaha vem com um slot, onde o usuário pode ligar uma grande variedade de placas de acordo com suas preferências, como prés de entrada e saída XLR, entradas p10, MADI, ADAT, Ethersound, Dugan, Dante, etc. Cada slot pode transmitir e receber 16 canais (16 in/16 out). Assim, a minha LS9-32 tem dois slots, logo com duas interfaces pode-se gravar até 32 canais, sejam eles direct out, subgrupos, matrix, L/R, etc. O que eu fazia com a M-Audio era exatamente isso via ADAT, agora faço via Dante direto pro computador.

Como são duas placas na mesa, é necessário um switch para combiná-los em um só sinal, mas caso você queira utilizar em uma LS9-16 ou em uma 01V por exemplo, pode sair da mesa direto pro pc.

Enfim, este fim de semana fiz as primeiras gravações com Dante e estou muito satisfeito! Nenhum problema. Tive minhas dúvidas no começo, afinal, 64 canais via um cabo de rede é muito suspeito, mas o Dante passou no teste com louvor! Pretendo gravar um vídeo e postar no youtube explicando o setup no próximo fim de semana.

E temos mais novidades, agora com Pro Tools 10! É isso, até mais!

 

Tags:,

Artigos relacionados

Comentários

  1. Ola. Muito bacana! A mavconsultoria.wordpress.com , Cursos/Treinamentos em Áudio Sonorização lhe da os Parabéns pelo blog / post. Sucesso hj e sempre. Um forte Abraço.

  2. Cara vc está de parabéns, uma linguagem simples de fácil entendimento.
    Por favor me mantenha informado, pois trabalho com uma LS 9/32 e Dante ja está batendo nas minhas costas.
    Abraços
    Luiz

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>