perm_identity event
Usar plugin no Reaper

REAPER – como usar Plugins

O REAPER é uma ferramenta DAW (Digital Audio Workstation) como qualquer outra ou seja, grava em múltiplas tracks, faz mixagem, e tem a possibilidade de utilizar plugins de terceiros. Atribuo como seu ponto forte essa possibilidade pois ele carrega plugins de quase todos os aplicativos DAW e stand-alone disponíveis no mercado.

Para começarmos vou mostrar como gravei e editei uma versão da música Vera Cruz do Milton Nascimento, dei uma cara Jazz Fusion com Baião e Funk nela, espero que gostem.

Meu link do sound cloud com essa e outras músicas gravadas no Reaper.

https://soundcloud.com/fredfarah

(O arquivo de seção do Reaper para esta música pode ser encontrado clicando neste link de download).

Para começar, editei a midi da batera e baixo no band-in-a-box, que é uma ferramenta muito antiga porém dependendo do seu nível de conhecimento musical se torna extremamente poderosa para esses fins. Enfim talvez em outro artigo podemos falar em como personalizar acompanhamentos e criar trilhas no band-in-a-box.

Na tela abaixo podemos ver as trilhas que utilizei e o mixer, que fica logo abaixo das trilhas, podendo ser movimentado para qualquer parte da tela de acordo com sua preferência. Eu não utilizo o mixer. Faço a mixagem direto nos volumes e plugins de compressão e equalização, direto pelas tracks (faixas).

Tela inicial do Reaper com detalhe para o mixer e as pistas

Tela inicial do Reaper com detalhe para o mixer e as pistas de áudio

Para ter um tutorial completo sugiro baixar o manual do Reaper na pagina do fabricante. Esta em inglês, mas para quem trabalha com isso sabe que não existe ou são muito raros os materiais desse tipo em português.

Tem também alguns vídeos no youtube com tutoriais bem bacanas, vale a busca.

Os Plugins usados no Reaper

Tratei o som da batera com o EZ-Drummer, plugin ótimo para quem quer praticidade e um som de extrema qualidade e personalização.

Para acessar os plugins o Reaper lê todos que estão instalados em seu computador. É só clicar em “FX” (botão a direita da track) que aparecerá uma lista de plugins do Repaer. Escolha o seu e pronto!

REAPER EZDRUMMER

Batera Jazz do EZDrummer – é necessário adquirir pacotes de expansão para adicionar baterias no EZdrummer

Para o baixo, utilizei o Broommstick, com o som do Fender Jazz-bass.

REAPERBASS

Broomstick Bass no Reaper – plugin de contra baixo

Para o piano, como tenho o Sonar, também consigo utilizar os plugins dele. Peguei os pianos da Roland, que vem nesse plugin TTS-1.

Plugin de piano no Reaper

Detalhe do plugin de piano no Reaper – pianos da Roland dentro do seu computador!

OBS: todos os MIDIs são editáveis dentro do Reaper, como em qualquer editor. Inclusive algumas visualizações vão na raiz dos eventos, proporcionado retirar ou colocar eventos para personalizar melhor seu arranjo. Para saber mais sobre o arquivo MIDI e outros tipos de arquivo de áudio, você precisa ler este artigo completo sobre arquivos de áudio.

Tela de edição MIDI do Reaper

Tela de edição de eventos MIDI no Reaper

E por fim, na guitarra utilizei o GUITAR-RIG. Creio que a grande maioria dos guitarristas do mundo utilizem esse plugin para gravar hoje em dia, pois são infinitas as possibilidade de timbres e sons, sem perder a sensação de estar tocando em um equipamento analógico… ele também vale um artigo específico.

Para essa música eu utilizei um amplificador que simula o Jazz Chorus da Roland, com alguns efeitos adicionais, como reverb e compressores.

Usando guitar Rig no Reaper

O guitar rig também pode ser utilizado no Reaper.

Quanto a plugins de simulação é isso… O mais interessante é que todos rodam simultaneamente durante a gravação sem travar, e eu uso uma fast track da M-audio. Ou seja, esse programa tem uma programação e estrutura bem robusta e estável.

Já tem algum tempo que utilizo e até hoje não perdi nada nem passei por problemas de travamento durante as gravações, como acontecem com o Sonar, por exemplo, quando não temos uma super-maquina para gravar.

Finalizando a mixagem – a master

Para finalizar utilizo o T-Racks que simula os racks de masterização analógicos.

Meu alvo de master é em MP3. Portanto, não perco qualidade significativamente, mas aconselho que quem estiver com intenção de gravar para distribuir em CDs que busquem um estúdio profissional de masterização.

Reaper e T-Racks - poderoso poder de processamento

Reaper e T-Racks – poderoso poder de processamento e tratamento para masterização

A partir daqui é sua criatividade e empenho para colocar suas gravações para funcionar, e posso dizer que essa ferramenta possui todos os recursos necessários para fazer um trabalho profissional sem sair de casa.

Um forte abraço e ótimas gravações para todos !!!

TAGS:
Artigos relacionados