perm_identity event

DIY – Subkick com falante antigo

Você sabia que, ao melhor estilo DIY (do-it-yourself, ou faça-você-mesmo), pode construir seu próprio microfone de graves usando um falante de caixa de som? Usar um subkick faz tanta diferença? É difícil fazer um do zero? Posso usar Phantom Power com o subkick ligado na mesa?

Calma, que vamos responder todas essas dúvidas! E no final do artigo eu incluí um exemplo de audio. Mesmo tendo ficado um pouco extenso, vale a pena ler tudo do início ao fim.

Com um pouquinho de habilidade de solda e materiais fáceis de se obter, você vai criar o seu próprio microfone. É só seguir este artigo, e eu garanto que suas captações não serão mais as mesmas.

Pra que usar o Subkick?

Na minha experiência de captação de bateria percebi que a utilização de microfones de cápsula grande, principalmente os mais baratos simples encontrados no mercado, não era suficiente para me trazer um som de bumbo encorpado que alguns estilos musicais exigem. Durante alguns anos a técnica que eu utilizei foi a de dobrar o
canal de bumbo e fazer uma equalização e compressão diferentes para cada canal – um com foco em corpo, e outro com foco em kick.

Acontece, amiguinho, que dificilmente você vai conseguir criar algo que não existe em uma captação – e fazer com que aquilo soe natural.

O subkick, por causa da sua forma estrutural, é capaz de captar ondas de baixa frequência e maior energia. Portanto, o objetivo desse equipamento é captar os graves e subgraves do bumbo, responsáveis pelo corpo e tamanho do tambor.

Só que nem todo mundo tem grana sobrando pra comprar um Yamaha SKRM-1000, né?

Material necessário para a construção

Para construir o seu próprio subkick, você vai precisar de:

  • Um pedaço de cabo de microfone balanceado;
  • Um conector XLR macho (leia este artigo sobre conectores de áudio);
  • Um falante antigo de caixa de som;
  • Ferro de solda e estanho;
  • Chaves de fenda / phillips;
  • Cintas de nylon;
  • Alicate para cortar os fios (ou um estilete);
  • Dois resistores de 470Ω (opcional);
  • Um cachimbo de microfone (opcional)
Subkick Caseiro - Como fazer DIY

Os materiais utilizados são praticamente reciclados.

O falante que usei é de um antigo mini system e tem 6 polegadas. Você pode fazer com basicamente qualquer falante, levando em conta a resposta de frequência, que quanto mais baixa for, melhor (eles devem atingir as frequências de 20 Hz para que a captação seja mais efetiva).

O conector XLR e o pedaço de cabo balanceado podem ser retirados de um cabo balanceado velho qualquer. Eu utilizarei um pedaço de cabo que já tem o conector soldado.

Como realizar a solda dos fios corretamente

Se você usa uma mesa de som com interruptor de Phantom Power que ativa a alimentação em todos os canais, saiba que é de extrema importância fazer a solda dos fios de acordo com o demonstrado.

Se os fios estiverem soldados de maneira incorreta, você pode acabar queimando sua mesa de som.

O cabo balanceado possui três vias internas: hot, cold e ground. Além disso, possui uma malha de fios de cobre que funcionam como escudo eletromagnético.

O conector XLR possui 3 pinos. Cada uma das vias do cabo será ligada a um dos pinos, conforme a imagem abaixo:

Como soldar fio de microfone XLR

Cada uma das pontas do fio está conectada a um pino do conector XLR macho.

  • O fio branco, que é o GROUND, é juntado à malha e vai ser soldado no chassis do falante.
  • O fio vermelho deve ser ligado ao pino 2 do conector XLR, ou HOT.
  • O fio preto deve ser ligado ao pino 3 do conector XLR, ou COLD.

Muita atenção deve ser dada a essa etapa, para evitar que você tenha dores de cabeça quando ligar o phantom power da sua mesa de som.

Fazendo as soldas no falante

Verificando continuidade do ground

Verificando a continuidade do chassis e do rebite central no terminal do falante.

No falante, faça a solda do terminal ” + “ com o fio vermelho, e terminal ” – ” com o fio preto. O fio branco, que está juntado à malha, deve ser soldado no chassis do falante ou em algum outro ponto que tenha conexão elétrica com ele (verifique utilizando um multímetro na função de ohímetro ou continuidade, conforme imagem acima).

Detalhe da polaridade do falante

Cada um dos terminais do falante possui uma polaridade.

Como sugestão, faça um furo no chassis e use um parafuso, uma arruela e uma porca de pressão para fixação. Como a carcaça do falante é grande, você encontrará alguma dificuldade para realizar a solda usando ferro de solda comum diretamente nela, já que o calor do ferro de solda vai ser dissipado pela grande área metálica.

A solução que encontrei para fazer a soldagem do fio ground foi utilizar este rebite que prende a placa de terminais do falante. Ele está conectado eletricamente ao chassis do subkick.

Fazendo as soldas como indiquei acima já é o suficiente para que o microfone funcione. Mas vou deixar uma dica para vocês, que pode ser bastante útil, dependendo do falante que vocês usam.

Utilizando um atenuador no Subkick

Após montagem e teste do meu microfone, constatei que o sinal de saída estava bastante alto, fazendo com que o sinal clipasse (aquele som “rasgado”, distorcido, que acontece quando a onda sonora excede o limite de trabalho do amplificador e fica “quadrada”) mesmo com nenhum ganho da mesa de som.

Subkick - Atenuador com dois resistores

Detalhe dos resistores de 470 ohms utilizados no circuito de atenuação.

Foi necessário projetar um pad, ou atenuador, que faz com que onda elétrica produzida pelo falante seja atenuada. Usei dois resitores de 470Ω.

Dessa forma, não só resolvi o problema de sinal muito alto distorcendo na gravação, como criei uma margem para aplicar o ganho do meu pré amplificador da mesa. Posso utilizar também, por exemplo, um pré amplificador valvulado com ganho alto, acrescentando ao som do bumbo as características sonoras da válvula.

Finalizando a montagem do subkick

Para fixar o subkick, utilizei a peça de conexão de um cachimbo de microfone antigo. Dessa forma o falante fica ligado ao pedestal, captando toda vibração mecânica do pedestal e do chão do estúdio – o que pode causar ruídos na gravação. Em um projeto futuro, irei ensinar como fazer um suporte anti-impacto (ou shock-mount) para o microfone.

Para evitar que a movimentação do microfone causasse o rompimento da solda nos terminais, fixei o cabo ao chassis com algumas cintas de nylon, aproveitando alguns furos que já existiam no falante.

Cinta de nylon fixando o cabo do subkick

As cintas de nylon fixam o cabo e evitam que a movimentação quebre a solda.

Conclusão

Todo o processo é bastante simples. A parte que você terá maiores dificuldades, caso não esteja acostumado, é soldar os fios nos terminais.

O resultado é muito satisfatório e vale todo o esforço!

Esta gravação foi com um microfone CAD e o Subkick DIY que eu fabriquei em casa. No primeiro trecho, a pista do bumbo foi duplicada e fiz uma equalização acrescentando graves em uma das faixas. Nos dois exemplos, a faixa do kick do bumbo é exatamente igual. Escutem e tirem suas próprias conclusões!

E não se esqueçam de mandar suas dúvidas na nossa página de contato na nossa Página do Facebook – ou deixe um comentário abaixo.

Keep Recordin’

TAGS:
Artigos relacionados